Mãe

I
Mãe,
É ser uma super mãe
É essa que guarda e tem
Os mais belos predicados
Se desfaz em mil cuidados

II
Atenta com os seus filhos
Dá-lhes amor e proteção
Dá-lhes beijos e carinhos
E também educação

III
Seja mãe ou super mãe
É coisa maravilhosa
Porque mãe é sempre mãe
E todas elas merecem
Um lindo ramo de rosas

Maria do Céu

Anúncios

Recordar

Já é noite e muito tarde
São horas de descansar
Fecho as portas, as janelas
E as luzes não me esqueço de apagar

Já me encontro deitada
Está frio mas sabe bem
A cabeça recostada
Na minha linda almofada
Enquanto o sono não vem

Tudo me vem a cabeça
E começo a recordar
A minha vida passada
Que tem muito que contar

Lembro a minha meninice
Que com tanta traquinice
Me faz faz rir e gargalhar
Mas noutros casos mais sérios
Começo logo a chorar

O passado já não volta
Nem pra mim nem pra ninguém
O presente é o nosso dia a dia
São as horas, os minutos e os segundos também

O futuro ninguém sabe
O que a vida nos vai dar
Nem os grandes adivinhos
Conseguem adivinhar

Pra não esquecer o passado
Só nos resta recordar
Umas vezes nos faz rir
Outras vezes faz chorar

O recordar é viver
E é bem uma verdade
Pode nos dar alegrias, tristezas
E também felicidade

Maria do Céu

O Homem do Mar

I
A minha casinha branca
Fica ali naquele rochedo
Vivo ali muito sozinho
Mas de nada tenho medo

II
A minha casinha branca
Tem janelas de madeira
Foi feita com muito amor
Para durar a vida inteira

III
Ao longo da madrugada
Oiço ondas a bater
Pertinho de minha casa
Elas vão-se desfazer

IV
Eu sou um homem do mar
Trabalho com alegria
Pesco à noite ao luar
E às vezes durante o dia

V
O meu berço é este mar
Toda esta maravilha
Vivo sempre em oração
Tenho Deus por companhia

Maria do Céu

A Minha Rainha

I
Vanessa,
Tu és uma moça linda
Teu perfil encantador
Tens um coração de ouro
Onde guardas tanto amor

II
És uma bela estudante
Decidida, graciosa
Tens lutado para vencer
Caprichando, rigorosa

III
Tu tens um lindo sorriso
Um maravilhoso olhar
Teus cabelos tão bonitos
Brilhando com o luar

IV
És Vanessa
Mas para mim, Vanessinha
Tu és aquela que eu amo
Tu és a minha rainha

Maria do Céu

O Meu Livro

I
Gosto tanto de escrever
Quadros, versos, poesia
Dizer tudo aquilo que sinto
Com amor e alegria

II
Com a caneta entre os dedos
No papel ela desliza
Por vezes com rapidez
Outras vezes paralisa

III
E aí eu vou sonhando
E vou pensando também
Minha alma vagueando
Pensando encontrar alguém

IV
Alguém que me compreenda
O que faço e o que digo
Por isso pensei levar
À edição este livro

V
Para todos os leitores
Comprem, leiam, vão gostar
E podem ter a certeza
Todos vós vão adorar

Maria do Céu

Flores

Rosas lindas, perfumadas
Belos cravos e jasmins
Ficam bem em qualquer lado
Embelezam meu jardim.
Minha casa pequenina
Branquinha, cheia de amor
Dentro dela há harmonia
Há um beijo em cada flor.
Falar de amor é uma dor
Conservá-lo é um talento
Tento sempre entrelaça-lo
Para não se ir com o vento.
Minhas rosas são regadas
Com amor e gratidão
E quando elas são podadas
Há muita compreensão.
Há o risco de cair
E os espinhos da rosa
Também nos podem ferir.
Temos que ser cautelosos
Com tudo que semeamos
Para podermos dar amor
A quem tanto nós amamos.

Maria do Céu

O Passar do Tempo

Sinto medo, sinto frio
Sinto o coração vazio
Até mesmo um arrepio
Percorrendo o corpo inteiro.
Sinto o passar do tempo
As veias a palpitar
Sinto uma angústia tão grande
Não consigo controlar.
E quando olho para o mundo
Começo logo a chorar
São armas, são guerras, são lutas
Todos prontos a matar
São corpos frio já sem vida
Que rolam e viram no ar.
Sinto medo, tanto medo
Pois eu não quero lutar
Meu coração está de luto
E vejo o tempo a passar
E as guerras a continuar
E não as fazem parar
Vindo ferir cruelmente
A quem tanto sabe amar.

Maria do Céu