Juventude

Simples bonita
Lá vai muito catita
Com olhar puro
Peito maduro
Seu corpo grita
É juventude
É mocidade
É da idade
É lei da vida.
Sempre tristonho
Como um sonho
Ando depressa
Perco a cabeça
Mas não apanho
E ela foge, já não a vejo
Como eu anseio pra dar-lhe um beijo.
É só um sonho, desilusão
E como sofre um coração
Mas de repente
Meu corpo sente tanta doçura
Tanta emoção
Calor ameno daquela mão
E ao meu lado, com olhar puro
Peito maduro, ela ali estava
Irradiando a juventude
A mocidade que me ofertava
E eu feliz a abraçava
Meu coração também gritava
Felicidade, felicidade
Tanto tardavas.

Maria do Céu

Anúncios

Primavera

I
Ó primavera
Como és boa para as flores
Para as crianças e jovens
Para os velhos e amores

II
És amena, doce e meiga
Dás alento e mais vigor
És formosa para o mundo
Com teu cheiro e muitas flores

III
Quando eu era primavera
Gostava de estar a teu lado
Sonhar com a felicidade
E com o meu namorado

IV
Mas o tempo vai passando
E a juventude findou
Mas para minha alegria
A primavera voltou.

Maria do Céu

Recordar

Já é noite e muito tarde
São horas de descansar
Fecho as portas, as janelas
E as luzes não me esqueço de apagar

Já me encontro deitada
Está frio mas sabe bem
A cabeça recostada
Na minha linda almofada
Enquanto o sono não vem

Tudo me vem a cabeça
E começo a recordar
A minha vida passada
Que tem muito que contar

Lembro a minha meninice
Que com tanta traquinice
Me faz faz rir e gargalhar
Mas noutros casos mais sérios
Começo logo a chorar

O passado já não volta
Nem pra mim nem pra ninguém
O presente é o nosso dia a dia
São as horas, os minutos e os segundos também

O futuro ninguém sabe
O que a vida nos vai dar
Nem os grandes adivinhos
Conseguem adivinhar

Pra não esquecer o passado
Só nos resta recordar
Umas vezes nos faz rir
Outras vezes faz chorar

O recordar é viver
E é bem uma verdade
Pode nos dar alegrias, tristezas
E também felicidade

Maria do Céu

Meu Sonho

Certa noite sonhei
Que era um passarinho e voei
Passei montanhas, rios e montes,
Bebi água pelas fontes,
Voei, voei, voei…
Eu sentia~me feliz, buscando,
Procurando, voando alto,
Cada vez mais alto.
De rrepente encontrei e parei
E fiquei calmo, quieto.
Que maravilha!
Que encantamento!
Que alegria!
Que paz tão pura naquele reino.
E foi então que acordei,
Pensando bem no que sonhei.
Naquele reino celestial,
Tudo era belo,
Tudo era calmo,
Tudo era amor,
Tudo era vida,
Tudo era cheio
De paz divina.
Queria eu
Poder voltar,
Em realidade,
Não a sonhar.

Maria do Céu