Bataclan

Meu coração está de luto
Sinto um desgosto profundo
Há grande desentendimento
Entre os povos deste mundo

O resultado está à vista
O ataque aconteceu
Sexta-feira dia 13

Grande foi a mortandade
Matando sem dó
Sem nenhuma piedade
Aos que estavam fugindo
Aos que estavam sentados

Foram jovens que morreram
Inocentes e na flor da idade
É incrível, foi uma barbaridade

São os pais são irmãos
E outros familiares
Que durante a sua vida
Nunca se irão esquecer
Esta grande crueldade

Não percebo de política
É muito complicado
No entanto penso eu
Há algo grande de errado

(Atentados em Paris, 13 Novembro 2015)

Maria do Céu Simão, 20 Novembro 2015

Anúncios

O Passar do Tempo

Sinto medo, sinto frio
Sinto o coração vazio
Até mesmo um arrepio
Percorrendo o corpo inteiro.
Sinto o passar do tempo
As veias a palpitar
Sinto uma angústia tão grande
Não consigo controlar.
E quando olho para o mundo
Começo logo a chorar
São armas, são guerras, são lutas
Todos prontos a matar
São corpos frio já sem vida
Que rolam e viram no ar.
Sinto medo, tanto medo
Pois eu não quero lutar
Meu coração está de luto
E vejo o tempo a passar
E as guerras a continuar
E não as fazem parar
Vindo ferir cruelmente
A quem tanto sabe amar.

Maria do Céu

O Nosso Mundo

I
Neste tempo em que vivemos
Entre guerras e tormentos
Homens, mulheres e crianças
Gritam alto aos sete ventos

II
Pedi ajudar não tive
Pedi amor não me deram
Pedi um pouco de pão
E nem isso me trouxeram

III
Assim vai rodando o mundo
Parecendo uma cratera
Dum lado é só fartura
Do outro é só miséria

IV
Ó povos de todo o mundo
Ó nações em toda a terra
Abraçai-vos em união
Acabando com a guerra
Dêem amor uns aos outros
E ponham fim à miséria

Maria do Céu