O Homem do Mar

I
A minha casinha branca
Fica ali naquele rochedo
Vivo ali muito sozinho
Mas de nada tenho medo

II
A minha casinha branca
Tem janelas de madeira
Foi feita com muito amor
Para durar a vida inteira

III
Ao longo da madrugada
Oiço ondas a bater
Pertinho de minha casa
Elas vão-se desfazer

IV
Eu sou um homem do mar
Trabalho com alegria
Pesco à noite ao luar
E às vezes durante o dia

V
O meu berço é este mar
Toda esta maravilha
Vivo sempre em oração
Tenho Deus por companhia

Maria do Céu

Anúncios

Lembranças da Minha Terra

Nascia o sol era verão
Eu eu ficava parada deslumbrada
Junto à igreja e ao mar
Olhando embevecida
Aquela grande baía
Aquela zona sem par.
Como é grande a natureza
Dando assim tanta beleza
Pura, simples e real
O sol, a bola de fogo
Calmos, muito devagar
Ia subindo, subindo
Deixando seus reflexos
Por tudo quando era mar.
Praias lindas, concorridas
Com os banhistas ao sol
As conchinhas e os búzios
E o seu lindo farol
Os caranguejos bonitos
E as tartarugas andando
A passo de caracol.
Mais abaixo a fortaleza Para lembrar o passado
As avenidas bem largas
E os jardins cuidados
Casas lindas e modernas
Pintadas com muito gosto
E o friozinho que fazia
Em pleno mês de Agosto.
Moçâmedes, a minha terra natal
De grandes recordações
Amada por tanta gente
Maltratada e destruída
Por ganância e ambições.

Maria do Céu