Recordar

Já é noite e muito tarde
São horas de descansar
Fecho as portas, as janelas
E as luzes não me esqueço de apagar

Já me encontro deitada
Está frio mas sabe bem
A cabeça recostada
Na minha linda almofada
Enquanto o sono não vem

Tudo me vem a cabeça
E começo a recordar
A minha vida passada
Que tem muito que contar

Lembro a minha meninice
Que com tanta traquinice
Me faz faz rir e gargalhar
Mas noutros casos mais sérios
Começo logo a chorar

O passado já não volta
Nem pra mim nem pra ninguém
O presente é o nosso dia a dia
São as horas, os minutos e os segundos também

O futuro ninguém sabe
O que a vida nos vai dar
Nem os grandes adivinhos
Conseguem adivinhar

Pra não esquecer o passado
Só nos resta recordar
Umas vezes nos faz rir
Outras vezes faz chorar

O recordar é viver
E é bem uma verdade
Pode nos dar alegrias, tristezas
E também felicidade

Maria do Céu

Anúncios

Sejam bem vindos à poesia

Maria do Céu da Costa Santos Simão, este é o meu nome. Nasci em Angola, numa terrinha pequena e acolhedora. A data do meu nascimento foi em 23 de Outubro de 1935. O nome da minha terra é Moçamedes, onde vivi minha infância com meus pais, dois irmãos e uma irmã. Cresci, me fiz mulher e casei com um rapaz maravilhoso. Desse casamento nasceram duas meninas lindas. Quando se deu a descolonização em Angola, tivemos de vir para Portugal, terra dos meus pais. Foi difícil a adaptação devido a várias situações, uma delas falta de dinheiro para nos sustentarmos, pois tudo quanto tínhamos lá ficou. Hoje amo a terra de meus pais, de que eles tinham tantas saudades. Tenho quatro netos muito queridos e sou feliz porque tenho uma família de ouro e os meus poemas que me ajudam a viver.

Gosto de ler, ouvir e fazer poesia.

Maria do Céu